Descubre el futuro de las finanzas en América Latina y el Caribe

The future of finance in LatAm & the Caribbean

O futuro das finanças na América Latina e no Caribe

“Era invisível”: Mulheres líderes da indústria detalham sua experiência de criar inclusão financeira

nov 28, 2023

Por Roberta Prescott

1090X564 (4)

A criação de ferramentas financeiras para mulheres é um passo importante para reduzir a disparidade de gênero, concordaram executivas em painéis realizados um dia antes da abertura do Mastercard LAC Innovation Forum

 

Compartilhar experiências e histórias pessoais e profissionais foi a linha que conduziu os painéis do Uplift: Inspiring a Better Tomorrow, fórum de liderança feminina, realizado nesta segunda-feira (27/11), na véspera do Mastercard LAC Innovation Forum. Em painéis, mulheres que são líderes contaram como suas companhias investem na diversidade e como esta conduta as têm levado à inovação. E mais: investir nas pessoas certas e dar ferramentas adequadas é um passo importante para a diminuição da lacuna entre gêneros.  

Ao abrir o evento, Kiki de Valle, vice-presidente-executiva para desenvolvimento de mercados da Mastercard LAC, traçou um panorama da desigualdade de gênero e destacou que a Mastercard levou ao mercado ofertas que suportam as jornadas das mulheres na condução de negócios, como soluções para que elas otimizem suas operações comerciais e tenham acesso ao crédito por meio de parceria com grandes fornecedores de bens de consumo para que elas possam contar com capital de giro.  

Entre os objetivos, destacou a executiva, está estabelecer conexões relevantes para que todos possam se beneficiar e encontrar oportunidades de crescimento de forma colaborativa. “Confiamos em nossa rede de parceiros para garantir que abrimos oportunidades para mais pessoas. Sabemos que isso não é uma tarefa fácil, que encontrar igualdade neste mundo é algo que exige muito esforço, mas nesta jornada não deve ser um indivíduo, queremos ter certeza de que todos na sala possam realmente se beneficiar de todo o progresso que estamos fazendo coletivamente”, disse.   

Nos painéis, diversas executivas contaram suas trajetórias profissionais, incluindo momentos da vida pessoal, principalmente relacionados à maternidade. “Incentivo para que as pessoas falem muito sobre investimento; as conversas são gratuitas e podemos conversar uns com os outros e descobrir o que realmente está impactando todos nós, seja o gênero ou qualquer a origem”, apontou Miranda Collard, global chief officer da Teleperformance, no painel que reuniu CEOs para falar sobre liderança pelo exemplo e como a inclusão leva a mais inovação e foi moderado por Bunita Sawhney, vice-presidente-executiva global para produtos da Mastercard.  

Suki Sandhu, CEO Audeliss, ressaltou que os homens ainda são maioria nos cargos de liderança. “Dados do Reino Unido mostram que levarão 63 anos para se alcançar a equidade de gênero no nível de CEO. É importante que as empresas incorporem todas as mulheres”, disse.  “Liderança é base. E colocar em prática o que você fala (walk the talk) é importante”, apontou Paula Paschoal, diretora-global do Google Pay.   

Luz Urrutia, CEO da Accion Opportunity Fund, é um exemplo na prática. A venezuelana enfrentou o que muitas mulheres passam e é líder de uma das maiores organizações de microfinanças dos Estados Unidos. “Solicitei um cartão de crédito de 500 dólares e me recusaram — e era o banco onde eu estava trabalhando. Então, meu status de imigrante e minha falta de histórico de crédito significavam para eles que eu era invisível”, contou.  

Em conversa com Solana Cozzo, vice-presidente-sênior para advisors da Mastercard LAC, Luz Urrutia contou sua história, que começou identificando que o que ela passou é reflexo de problema maior de barreiras sistêmicas que existem para imigrantes e para mulheres. E foi justamente esta lacuna que Urrutia se propôs a resolver. “Decidi que iria construir um banco para a comunidade latina, um banco comunitário voltado para fornecer acesso a empréstimos responsáveis e todos os serviços financeiros que precisamos, como mulheres e empreendedoras, para podermos ter sucesso”, disse. 

“Acho que liderar com empatia não é apenas orientar e liderar, mas também inspirar as pessoas a executar uma missão em que você está tornando o mundo um lugar melhor, proporcionando aos proprietários de empresas acesso aos recursos de que precisam para que, por sua vez, possam ter sucesso, criar empregos e viver uma vida melhor para si próprios ou para sua família e suas comunidades”, ponderou, passados 23 anos da empreitada da construção de um sistema financeiro mais inclusivo.  

Raj Seshadri, presidente para dados e serviços da Mastercard, destacou que tem sido benéfico para a economia quando as mulheres tem melhor acesso ao crédito e ao capital. “Definitivamente impulsionam não apenas o meio ambiente, mas também segurança financeira, oportunidades de investimento, progresso social e também coisas como reduzir a violência baseada em gênero na verdade, torna as sociedades melhores”, apontou.   

Nessa linha, Marcela Torres, general manager do Nu Colômbia, ressaltou como um banco digital promoveu a inclusão bancária  e como isso impacta muitos aspectos da vida de alguém.  

Acompanhe as tendências de bancos digitais, pagamentos e fintechs na América Latina

Junte-se aos líderes mundiais em tecnologia financeira que leem os relatórios da iupana