Descubre el futuro de las finanzas en América Latina y el Caribe

The future of finance in LatAm & the Caribbean

O futuro das finanças na América Latina e no Caribe

Investidores apostam em fintechs de crédito

jan 21, 2022

Por Antony Pinedo
Los inversionistas apuestan por las fintech de crédito

Copia de Plantilla imágenes principales Web y redes

2022 está se preparando para ser o ano de crescimento e de surgimento de novos modelos de negócios para as fintechs de crédito. Nesta semana, os fundos de investimento direcionaram suas apostas para este setor, injetando cerca de US$ 140 milhões no setor de crédito por meio de várias rodadas de dívida e ações.

 

O interesse no setor dará um impulso a novos modelos de empréstimos, disseram fontes do mercado à iupana.

“A graça desse novo capital é que ele impulsiona a inovação, especialmente em serviços financeiros, e permite que modelos ágeis como o BNPL entrem”, disse à iupana Nicolás de Camino, CEO da fintech chilena Xepelin, que levantou US$ 80 milhões em 18 de janeiro. “Vimos que o BNPL se desenvolveu muito no segmento B2C e está começando a aparecer no segmento B2B”, acrescentou.

Gastón Vega, CEO da Avanzo, fintech colombiana que levantou uma rodada semente de US$ 1,3 milhão, comentou o rápido crescimento do setor de crédito: “Estamos crescendo como cogumelos em diferentes frentes. Se fosse apenas um, não seria tão engraçado, porque seria fácil para os bancos imitarem”, disse Vega.

Entre as principais novidades das fintechs de crédito desta semana, destaca-se a brasileira Creditas, que prepara sua oferta pública inicial (IPO) nos Estados Unidos e busca uma avaliação de US$ 10 bilhões. O IPO está previsto para ocorrer no fim do segundo trimestre deste ano. Você certamente estará esperando uma recepção semelhante à que o Nubank recebeu em dezembro.

Em VC, a fintech chilena Xepelin, que oferece financiamento a PMEs via factoring e outros formatos, recebeu US$ 80 milhões do grupo Community Investment Management (CIM) para fortalecer sua expansão no mercado mexicano.

Enquanto isso, a Fairplay, uma fintech mexicana que empresta para PMEs, levantou US$ 35 milhões na série A dividida entre capital e dívida, da Dila Capital, Kayyak Ventures e Architect Capital.

E a Agrolend, fintech brasileira que financia produtores agrícolas, fechou uma rodada série A com R$ 80 milhões (US$ 14,5 milhões) liderada pelo Grupo Valor Capital.

Além disso, nesta semana, a fintech guatemalteca Amigo PAQ arrecadou US$ 5 milhões, na Argentina, e a Wibond fechou uma rodada por US$ 2,25 milhões.

Acompanhe as tendências de bancos digitais, pagamentos e fintechs na América Latina

Junte-se aos líderes mundiais em tecnologia financeira que leem os relatórios da iupana